Transtornos alimentares

Quais são os tipos de transtornos alimentares?

Transtornos alimentares são desvios que podem levar ao emagrecimento extremo ou obesidade, bem como outros problemas físicos.

Conforme estatísticas recentes, cerca de 1% da população mundial sofre algum tipo de distúrbio desse tipo. Embora pareça um percentual baixo, são doenças cada vez mais recorrentes, que se tornaram mais comuns especialmente em decorrência dos padrões de beleza impostos pela sociedade moderna.

Com a pressão externa por um corpo perfeito, muitas pessoas acabam desenvolvendo uma preocupação excessiva com o peso, que pode levar a prejuízos sérios para a saúde. Além desse indício, outros sintomas, como percepção alterada ou deturpada da própria imagem, bem como medo de engordar caracterizam o transtorno alimentar.

Entre os tipos mais comuns, estão a anorexia, a bulimia e a compulsão alimentar. Conheça, em seguida, a diferença entre eles.

Os transtornos alimentares

Anorexia

O principal indício de um indivíduo que sofre anorexia é a perda de peso relevante. Trata-se de uma recusa espontânea da alimentação ou redução drástica da quantidade ingerida. Pessoas com anorexia não perdem o apetite, mas se impõem dietas extremamente restritivas. Com o passar do tempo, a redução acentuada do peso pode acarretar diversos problemas para a saúde.

Bulimia

O comportamento de um indivíduo com bulimia é diferente. Seu diagnóstico pode ser ainda mais complexo, tendo em vista que nem sempre ocorre diminuição expressiva do peso. Nesse caso, a pessoa adota métodos compensatórios inadequados, com o intuito de emagrecer. Isso pode envolver diuréticos, laxantes, exercícios extenuantes ou vômitos forçados. Ou seja, em todas as possibilidades, ocorre um grande desconforto corporal que, com o tempo, pode deixar marcas no organismo.

Compulsão alimentar

Por fim, o transtorno alimentar mais comum é a compulsão. Basicamente, o problema é caracterizado pela ingestão de grande quantidade de alimentos em um curto espaço de tempo, acompanhada da sensação de perda de controle. Indivíduos com episódios de compulsão, em alguns casos, podem ingerir calorias suficientes para manter um ser humano alimentado durante dias. A pessoa com esse distúrbio pode ter, inclusive, seus hábitos sociais atingidos. Tem medo ou vergonha de se alimentar em público, por exemplo.

Tratamento dos transtornos alimentares

Todas essas doenças são desencadeadas por motivos variados. Por serem problemas com causas múltiplas, os tratamentos também devem ser multidisciplinares. Além de acompanhamento nutricional, o indivíduo precisa também de acompanhamento de psicólogo e psiquiatra.

Se você percebeu mudanças em seu comportamento alimentar ou suspeita que alguém próximo a você apresenta indícios de transtornos alimentares, procure ajuda. Com apoio médico e familiar, é possível interromper o distúrbio e recuperar qualidade de vida.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Lajeado!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe